Untitled
esquerda


Leia a Última Edição!

II Série Volume 33 Número 7-8
Julho-Agosto 2020

E-ALERT:

menu esquerda
 
   
 
 
 
 


  1- Factores de recorrência das lesões intraepiteliais do colo do útero.

2- Duodenoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (cpre) no diagnóstico da patologia biliar e pancreática. Experiência dos primeiros 150 exames.

3- Mefedrona, a Nova Droga de Abuso: Farmacocinética, Farmacodinâmica e Implicações Clínicas e Forenses

4- História natural da dilatação pielocalicial pré-natal.

5- Drogas antidepressivas.

6- Erisipela.

7- Abordagem terapêutica das úlceras de pressão--intervenções baseadas na evidência.

8- Traumatismo Crânio-Encefálico: Abordagem Integrada

9- Ulceras genitais causadas por infecções sexualmente transmissíveis: actualização do diagnóstico e terapêuticas, e a sua importância na pandemia do VIH.

10- Abordagem actual da gota.

11- Vasculite livedóide.

12- Cisto de Tarlov: definição, etiopatogenia, propedêutica e linhas de tratamento.

13- Tratamento antibiótico da cistite não complicada em mulheres não grávidas até à menopausa.

14- Urolitíase e cólica renal. Perspectiva terapêutica em Urologia.

15- Inversão uterina.

16- Princípios básicos em cirurgia: fios de sutura.

17- Rabdomiólise.

18- Distócia de ombros: uma emergência obstétrica.

19- Distócia de ombros: uma emergência obstétrica.

20- Demência frontotemporal: que entidade?

 
   

Tradução, Adaptação e Validação da Versão Portuguesa do Questionário de Sintomas Não-Motores para a Doença de Parkinson



Introdução: Os sintomas não-motores da doença de Parkinson são ainda pouco reconhecidos, apesar do impacto na qualidade de vida e na mortalidade. O Questionário de Sintomas Não-Motores é uma ferramenta válida e confiável para avaliação dos sintomas não-motores noutros idiomas. O objetivo deste estudo é traduzir, adaptar e validar a versão portuguesa do Questionário de Sintomas Não-Motores.
Material e Métodos: A aceitabilidade foi avaliada através da amplitude de valores, efeito de teto e de chão. A fiabilidade foi medida em termos de consistência interna (alfa de Cronbach) e de reprodutibilidade (coeficiente de correlação intraclasse). Para a validade de critério, o Questionário de Sintomas Não-Motores foi comparado com a escala Movement Disorders Society – Unified Parkinson’s Disease Parte I. A validade convergente foi avaliada através de correlações entre o Questionário de Sintomas Não-Motores, Movement Disorders Society – Unified Parkinson’s Disease Parte III, pontuação na Mini-Mental State Examination, duração de doença e severidade de doença.
Resultados: Recrutámos 79 doentes com doença de Parkinson, com idade média de 67,2 ± 10,7 anos e uma duração média de doença de 10,8 ± 8,8 anos. A versão portuguesa do Questionário de Sintomas Não-Motores revelou propriedades psicométricas adequadas. O questionário (alfa de Cronbach = 0,862) e os seus domínios demonstraram uma consistência interna adequada, com exceção do domínio cardiovascular (alfa de Cronbach = 0,173). Em termos de validade, verificaram-se correlações fortes entre a maioria dos domínios do Questionário de Sintomas Não-Motores e as dimensões correspondentes da Movement Disorders Society – Unified Parkinson’s Disease Parte I. A pontuação total do Questionário de Sintomas Não-Motores mostrou correlações moderadas com a duração e severidade da doença, severidade dos sintomas motores, não-motores e disfunção cognitiva.
Discussão: Este é o primeiro estudo a traduzir, adaptar e validar uma ferramenta frequentemente utilizada para rastreio de sintomas não motores na doença de Parkinson.
Conclusão: A versão portuguesa do Questionário de Sintomas Não-Motores é uma ferramenta válida e confiável para avaliar os sintomas não-motores nos doentes com doença de Parkinson.

Leia o artigo completo aqui (apenas em Inglês).