Untitled
esquerda


Leia a Última Edição!

II Série Volume 34 Número 3
Março 2021

E-ALERT:

menu esquerda
 
   
 
 
 
 


  1- Factores de recorrência das lesões intraepiteliais do colo do útero.

2- Duodenoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (cpre) no diagnóstico da patologia biliar e pancreática. Experiência dos primeiros 150 exames.

3- Mefedrona, a Nova Droga de Abuso: Farmacocinética, Farmacodinâmica e Implicações Clínicas e Forenses

4- História natural da dilatação pielocalicial pré-natal.

5- Drogas antidepressivas.

6- Erisipela.

7- Abordagem terapêutica das úlceras de pressão--intervenções baseadas na evidência.

8- Traumatismo Crânio-Encefálico: Abordagem Integrada

9- Ulceras genitais causadas por infecções sexualmente transmissíveis: actualização do diagnóstico e terapêuticas, e a sua importância na pandemia do VIH.

10- Abordagem actual da gota.

11- Vasculite livedóide.

12- Cisto de Tarlov: definição, etiopatogenia, propedêutica e linhas de tratamento.

13- Tratamento antibiótico da cistite não complicada em mulheres não grávidas até à menopausa.

14- Urolitíase e cólica renal. Perspectiva terapêutica em Urologia.

15- Inversão uterina.

16- Princípios básicos em cirurgia: fios de sutura.

17- Rabdomiólise.

18- Colestase intra-hepática da gravidez. Etiopatogénese, prognóstico e terapêutica.

19- Neuroanatomia funcional. Anatomia das áreas activáveis nos usuais paradigmas em ressonância magnética funcional.

20- Neuroanatomia funcional. Anatomia das áreas activáveis nos usuais paradigmas em ressonância magnética funcional.

 
   

Artrite Reumatóide em Doentes Submetidos a Terapêutica Biológica num Centro Terciário de Referenciação em Portugal: Um Estudo Transversal



Introdução: Avanços no tratamento da artrite reumatóide contribuiram para uma evolução favorável. Apesar de evidências substanciais provenientes de ensaios clínicos, são menos conhecidos os dados provenientes da vida real. O objetivo do estudo foi caracterizar a doença e a qualidade de vida em doentes sob fármacos biotecnológicos.
Material e Métodos: Trata-se de um estudo transversal com recolha de dados clínicos relativos à adesão terapêutica, atividade da doença, capacidade funcional, deformidades articulares, comorbilidades e questionários de qualidade de vida relacionada com a saúde, estado civil, situação profissional e escolaridade.
Resultados: Foram recrutados 77 doentes do grupo original de um total de 94. A mediana da idade foi 63 anos, 82% do sexo feminino e início de biológico cerca de quatro anos após o início da doença, com uma mediana de duração de 12 anos. De acordo com o disease activity score (DAS28), a percentagem de doentes com atividade alta, moderada, baixa ou em remissão mudou, respectivamente, de 50, 45, 0 e 5 pré- biológico para 11, 37, 25 e 26 na altura da re-avaliação, com melhoria funcional. Setenta e cinco por cento dos doentes mantiveram o tratamento original com boa adesão. Pontuações mais baixas do short form-36 associaram-se a uma baixa pontuação no EQ-5D-3L. No grupo de doentes que viriam a falecer (n = 6), foi observada uma menor esperança de vida aos 10 anos, assim como uma maior discontinuação da terapêutica biológica.
Discussão: Pré-biológico, uma elevada percentagem dos doentes apresentava elevada atividade da doença e incapacidade funcional.
Conclusão: Não obstante ajustes terapêuticos e seguimento regular, uma percentagem significativa de doentes mantinha atividade moderada e limitação funcional com baixa qualidade de vida relacionada com a saúde.

Clique aqui para aceder ao artigo completo (apenas em inglês).